Envios grátis* para compras no valor de 100€ ou mais com entregas em 24H. *Válido para Portugal Continental.

No products in the cart.

Bruga
Dicas5 passos para preparares a tua horta em casa

5 passos para preparares a tua horta em casa

5 passos para preparares a tua horta em casa

Ter uma horta é algo relativamente fácil. Exige dedicação e alguma pesquisa, mas podes ter sucesso, mesmo não tendo experiência nas lides hortícolas. Para te ajudarmos nesse processo, trazemos-te este artigo com 5 passos fundamentais para conseguires ter uma horta em tua casa:

1

Preparação do solo

Talvez um dos pontos mais importantes desta lista. Preparar o solo de forma adequada é fundamental para o bom desenvolvimento das sementes e das plantas. Uma boa preparação exige que o mesmo seja remexido com enxada, tornando a terra mais fofa (menos compacta), retirando paus, pedras e qualquer objeto que possa dificultar a proliferação e desenvolvimento das raízes.

É nesta fase que podemos, também, detetar alguns animais que se alimentam de raízes, como por exemplo a larva do besouro, ou, por outro lado, minhocas, que são benéficas para arejar e fertilizar o solo.

Na preparação do solo, deve-se também retirar todas as ervas daninhas e realizar o mulching.

2

Fertilização

Um dos principais problemas do fraco desenvolvimento das plantas é o solo estar pobre em nutrientes, como azoto, potássio, fósforo, boro, cálcio, entre outros. Por vezes, isto deve-se ao excesso de culturas no mesmo local, algo que pode ser evitado com a rotação de culturas (diferentes plantas consomem diferentes tipos de nutrientes, o que permite a sua regeneração), bem como com o repouso dos solos (período de 6 meses a 1 ano sem se plantar num dado local).

Para colmatar a deficiência nutricional de um solo, é indicado a utilização de biofertilizantes, como estrume de ovelha, cabra e coelho, chorume de urtiga, ou por exemplo o resultado da compostagem doméstica. O húmus de minhoca é também um ótimo biofertilizante rico em vários nutrientes.

3

Escolha do local

O local escolhido para a plantação deve ter em consideração diversos fatores, como: facilidade de acesso a água para a rega, deve ter exposição solar, mas também sombra a certa altura do dia, ou ser um local com um solo bem drenado, para evitar a permanência de excesso de água, evitando assim o apodrecimento das raízes.

Este último ponto é de extrema importância, sobretudo nos meses de chuva, em que se o local se situar numa baixa de terreno pode levar à inundação do mesmo, e exceto raras culturas, isso pode acabar por danificar permanentemente o que está plantado ou semeado no local.

4

Exposição solar e rega

Há que ter muita atenção a estes dois fatores. Diferentes espécies de plantas, necessitam de exposição solar e frequência de rega diferentes.

Por exemplo, os tomateiros aguentam temperaturas mais elevadas do que as alfaces, pelo que se deve dar prioridade, no verão, ao cultivo destas em locais com sombra nas horas de maior calor.

Por sua vez, os espinafres são plantas que necessitam de mais água, já muitas plantas aromáticas, como o tomilho, o cebolinho ou o alecrim aguentam uma rega mais moderada.

Desta forma, é importante adaptar o tipo de plantas ao local, tendo em conta as suas necessidades edafoclimáticas, por forma a tirar o melhor partido das nossas culturas.

5

Época certa de cultivo

Um dos principais erros no começo de uma horta é o de não respeitar as épocas certas de cultivo de cada espécie de planta. Mais uma vez, devemos  ter atenção  de que cada espécie apresenta exigências de cultivo diferentes, nas suas diferentes fases. Por exemplo, os tomateiros devem de ser semeados em março, enquanto os alhos em novembro.

Semear ou plantar em épocas impróprias é um dos principais fatores para o insucesso de uma horta.

5 passos para preparares a tua horta em casa

Estes são 5 dos passos fundamentais que te vão ajudar a teres a tua horta em casa com bastante sucesso, contudo há outros fatores a ter em conta, e que iremos abordar futuramente, como por exemplo: a genética das sementes, a poda, realização de mudas e transplante, ou por exemplo a consociação de culturas para evitar o surgimento de pragas e doenças de forma natural.

A horticultura é um mundo, mas é também a tentativa e erro. O importante não é ser um expert na matéria, mas sim ter dedicação e não desistir!

 

Bruga x José Rolão, Abelha7Trevos

Post a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top

g

Welcome to Roisin, a place where all flower shops take on a whole new dimension of beautiful.

gflorist, Suzane Muray

Seleccione um ponto de entrega